sábado, 2 de fevereiro de 2013

Odoyá!




Odoyá
!

Percebe que dos mares é que vêm
as graças que deslindam a manhã?
Frescor de maresia como um bem,
a bênção, que batiza, de nhanhã.
O sol em mil espelhos de sem-fim
floresce nas marés, por esplendor.
No reino subaquático, o malsim
se faz quando mergulho no setor
dos sonhos poderosos em anil
e verde e multicor... Vão para o banho
meu corpo e meu espírito, confio
no colo soberano, que é tamanho,
     na força da princesa de Aiocá,
     no soro da pureza de Yemanjá!

*** Ecumenismo, sempre.
*** Entrevista com o ator e dramaturgo Espedito Di Montebranco aqui.
*** Breve ensaio acerca de "O abajur lilás", de Plínio Marcos, aqui.
Share |

5 comentários:

Eleonora Marino Duarte disse...

tão bonito Henrique....


Beijo.

Adriana Godoy disse...

Saravá, poeta!

Leo Lamarão disse...

Para um bom inicio de ano Oxalá..

e veremos agora se criei de forma correta, para poder voltar a comentar.

Oxalá..

Gustavo Alvarez disse...

muito bem lembrado!

Marcelino disse...

Mês lindo esse de fevereiro: tem festa no mar, tem carnaval nas ruas e belos sonetos- como este teu- na web.