terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Farinhada



Farinhada

São brigas de políticos; não, nossa.
Às custas de que grana? Das impostas
por meio de aparatos e de bossa,
de leis que são criadas pelas costas.

Repetem-se modelos, só de troça,
moedas para troca, sem respostas
concretas para o povo, sua fossa,
assim vão fermentado suas bostas.

Arengas da política malfeita
confirmam-nos a fama conhecida
do saco de farinha apodrecida.

É certo que essa corja não respeita
o voto nem o povo, no mais, Nossa
Senhora que interceda, minha nossa!

***
Share |

4 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Henrique, farinheiro da porra!!!

XD

Marcelino disse...

Me lembra a política da minha terra. Aliás, calharia muito bem teu texto no nosso Jornal Pequeno, aqui em São Luís do Maranhão, terra em que se consome muita farinha e que a política tem essas revezes de que nos fala em teu texto.

BAR DO BARDO disse...

Viva a farinhada!

BAR DO BARDO disse...

Marcelino, é política de várias terras, aqui na terrinha.