segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Amar diferente

Foto de Elizabete Burkhardt

Amar diferente

Existe a quem amar, o que é perfeito,
você que se unifica à sã loucura,
insana de bom senso na procura
sem fim de um quê de cômodo, de um eito,

de espaços que se escondem sobre o leito,
daquilo que floresce na fissura,
da surra que sorri, da travessura,
través de travesseiros, desse jeito

sacana de brincar com coisa séria
e a gente se empanzina de miséria
e a gente se fascina ao difamar

o espelho colocado a nossa frente.
Feliz por ser você tão diferente...
Eu amo porque existe a quem amar...

***
Share |

13 comentários:

Adriana Godoy disse...

Bardinho, a gente se empazina de amor ao ler seus poemas...

Fascínio ao difamar, corremos esse risco.


Beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

Boa cadência.

tonholiveira disse...



Amar difere... gente!

Tô com o Marcos,
só falta a música...

Oh noT

:o)

BAR DO BARDO disse...

Olá, Adriana!

Que bom que tenho cá meus leitores arrefecidos. Obrigado. Beijo!

BAR DO BARDO disse...

É na cadência do samba, Marcos!

Felicidades e ziriguidum!

BAR DO BARDO disse...

Tonho,

aceitamos parceria... hehehe...

Abraço, Tonho!

vieira calado disse...

Arrepiante!

Um abraço!

BAR DO BARDO disse...

Vieira Calado,

muito grato pela visita!
Abraço!

Gustavo Felicíssimo disse...

véi, fiz um adendo ao final da postagem sobre o poema de Florisvaldo Mattos. Veja lá, vc vai gostar.

Gustavo Felicíssimo disse...

manda bala, meu velho. esse tipo de desafio só faz a gente crescer. manda bala que publico lá no Sopa.

BAR DO BARDO disse...

Vi tudo lá, Gustavo!
Abraço!

Os amigos que quiserem dar uma olhada:
http://sopadepoesia.blogspot.com/2012/02/um-poema-puxa-outro-i.html

Cássio Amaral disse...

Gozo fabuloso como diria o Leminski.

Braços.

BAR DO BARDO disse...

Grande Cássio,

felicidades para ti e para a família!!!