terça-feira, 8 de maio de 2012

Cheiro de que mesmo?!




Cheiro de que mesmo?!

Não é apartidário, é sem partido,
partindo o coração, se ele tiver
mamãe, que é feito todas, tem sentido,
é certo que lhe preza essa mulher.

Amando o seu marmanjo bem crescido,
pedindo por seu anjo uma colher-
-de-chá, que lhe proteja a seu querido
filhinho com calvície... e sem talher.

Parece uma piada no Senado,
dá pena do coitado, de seu nado
em mar de muita merda e similares.

Mãezinha, se cagou todo o menino,
mas vem acompanhado no destino,
políticos de merda são seus pares. 

***

Share |

4 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Perfeito! Que presente de dia das mães que o nobre senador cagou.

BAR DO BARDO disse...

Marcos,

faz um soneto sobre também - ia ficar legal.

Abraço!

byTONHO disse...



-- Maiêêê! To cocô!

:o)

BAR DO BARDO disse...

Vô limpá, neném da Mami!

Hehehe...