sábado, 14 de julho de 2012

Infraérea


Infraérea

Voar do aeroporto, só se voa
depois de muita espera, paciência?
Quem ousa ser cliente vai na boa
a bunda repousar na competência

do mármore do chão, se isso não soa
assim refinamento ou sapiência,
são sapos engolidos sem lagoa,
refis com incontida contingência.

Se diz que melhoramos, que podemos,
queremos viajar na aviação,
entanto as companhias, esses demos,

despertam-nos dos sonhos de avião,
ao rés e no rastejo nos fodemos,
não vamos, desviamos pelo vão.

*** Na Semana On-Line deste sábado, falamos um pouco acerca das agruras de se adotar a leitura de Poe para crianças e dos prazeres de se escutar Chico Science.
Share |

8 comentários:

byTONHO disse...



É... a infra em marcha ré!
Lesmalerda...

:o)

Oh not!

BAR DO BARDO disse...

Lesma lerda e que só rasteja para trás...

Kkkkkkkkkaos!

Abraço, "by TONHO"!

Me by PI.

Leo Lamarão disse...

Tomei desse remedio amargo no fim de 2010
Voei a Belem para velar meu pai
do avião só ficou o medo de voar
do saguao do aeroporto os tchauzinhos no galeão, ver se o nosso amigo fabio me via.
Do resto toda a verdade
Do meu pai a saudade.

abraços

(hoje fui a Itajubá e passei, por um asilo onde os vestutos tomavam sol nas cadeiras de rodas...)

que tu sares logo esse pé, melhoras!!!

BAR DO BARDO disse...

Leo,

torcida não falta para termos serviços aéreos melhores, visto que a Copa está desembarcando...
O pé já está quase 100%, o cem dele ficará entre 15 e 20 de um pé normal, ou seja, ótimo para andar.

Abraço!

Pedra do Sertão disse...

Adorei o que disse no meu blog...a gente se atreve mais com 17 anos! Obrigada!

Segundo as últimas reportagens que li, está cada vez mais complicado viajar de avião, lembra uma rodoviária um pouco maquiada e só!

Abraço do Pedra

BAR DO BARDO disse...

Pedra,

sim, rodoviária, mas daquelas!...
Felicidades!

Jarbas, o Questionador, disse...

Você falou do aeroporto, Pimenta. Agora estamos esperando algo animador com o tema cadeira de rodas e pé engessado. Com o habitual toque de humor, claro! Não ganhou nenhuma gata por conta do "coitadinho dele!"? Não minta, amigo!...

BAR DO BARDO disse...

Jarbas,

(risos) eu já tenho a minha gataça, não quero outra felina.

O atendimento no solo (a deficientes) é bastante amadorístico, p. ex., me emprestaram uma cadeira de rodas com os pneus furados, o que dificulta muito a "andadura". Mas alguns funcionários se esforçam e desses alguns não posso reclamar, só elogio.

Mudanças de portão de embarque e atrasos por causa de um ou dois passageiros são notáveis - e reprováveis.

Há ainda uma outra série imensa de coisas que poderiam ser bem melhores, tanto no solo quanto no ar. Não vejo, no entanto, nem prevejo melhoras a curto, médio nem a longo prazo. E adoraria que me calassem, com rapidez, competência, agilidade, bons serviços etc.

Abraço, Jarbas!