quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O caso




O caso

Orquídea de presente na lixeira.
Garrafa de champanhe na cozinha,
tampada, nem mexida. Foi à feira.
Voltou de mãos vazias. A vizinha,

não via por semanas. O que cheira,
um quê que vem de lá! Mas se nem tinha
cachorro... Que será? Na sexta-feira,
desculpa de fofoca, à campainha...

Ninguém lhe foi à porta. Desconfia.
Tragédia com certeza, mais um caso
daqueles. É por certo o que seria.

Esquece-se do fim, de não ter vaso
dos chiques para a orquídea nesse dia.
Digita um, nove, zero, com atraso...

*** Img by Alexandra Ortegon
Share |

4 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

seu nome é Ed? Ed Mort? hehe

legal. diferente.

BAR DO BARDO disse...

Tentei quebrar o ritmo, MSK!

Marcelino disse...

Desses sonetos de embasbacar de tão bem feito.

BAR DO BARDO disse...

... é o trabalho que meus seletos leitores merecem. Abraço, Marcelino!