quarta-feira, 7 de maio de 2014

Flor




Flor

A flor é um ser que sente, tem sentido.
A flor tem sensações para a partilha.
Porvir adolescente de uma filha
que é linda como um anjo decaído.

A flor é uma garota, uma pastilha
com gosto de hortelã, e é divertido
de ver seu sorrisinho convencido,
de ver sua atitude de guerrilha.

Com moda maltrapilha, de bandida,
na cômoda função de ser vivente
às custas de seus pais, a sua vida

reduz-se a apreciar o de repente.
A cama é seu jardim, lá recolhida
conserva-se a garota florescente.

*** 
Share |

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Henrique,

Empregaste umas rimas bem diferentes.

abraço
Marcos

BAR DO BARDO disse...

A diferença nos iguala a todos. Abraço, poeta Marcos!