sábado, 27 de junho de 2015

Árido


Árido

Nas tendas desarmadas, senescência,
o nada semovente e sentimentos
a base de alcatrão: os fundamentos
da tribo do deserto da existência.

É vento o que escutamos? São lamentos?!
A areia é sob os pés, ou, resistência
em forma evanescente? Paciência…
Em ondas, pulverizam-se os momentos…

Apóstolos, profetas, indomados,
os santos que viveram calcinados
despiram-se da pele nesse espaço.

E, nós, o que faremos? Não faremos.
Em caravana, apenas passaremos.
Não termos um roteiro é o nosso paço.

*** Img in reusableart.
Share |

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Sem roteiro, mas escrevendo-o.
=)

Pérola disse...

Em deserto repleto de poesia com cheiro a areia.

Beijo