quinta-feira, 20 de julho de 2017

Soneto tem tipo um tema



Soneto tem tipo um tema

Soneto não tem tema, por favor.
Não tema um só soneto. Não. Não tema.
Quem teme aos rasos da razão, à for-
taleza a proteger prisão, algema?

Respondo que um sorri. (Não, por amor.)
Respondo com polêmica, dilema.
Respondo, sou liberto do temor
da morte. Destemor é qual cinema.

Enfim, procuro o que perdi, que é tão
interessante quanto sóis, sertão
de um nordestino estado? Ceará?

Enfim, assim tem o seu tema vão,
soneto com quilates de ilusão,
em versos de um, de um “é” que não “será”.


***
Share |

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Soneto muito bem trabalhado, percebi originalidade.

abraço

BAR DO BARDO disse...

Notei um pé quebrado. Meti gesso. Obrigado, Marcos!